quinta-feira, 19 de maio de 2016

Parábolas & Cinema #7: Resenha X-Men Apocalipse COM Spoilers

Olá amigos do Parábolas Geek! Depois de nossa Resenha livre de Spoilers, vamos conversar um pouco sobre os eventos do filme, então se você não quer saber mais do filme porque não assistiu ainda, então pare a leitura por aqui, após a imagem abaixo o conteúdo do texto CONTÉM Spoilers do filme.


     Os mutantes foram meu ponto de acesso ao universo Marvel quando era adolescente lembro até hoje que comprei uma revista do Wolverine durante a saga do massacre de mutantes, onde todos os X-Men foram dados como mortos e a Mansão X foi destruída. Amo o debate entre o discurso de Xavier e o de Magneto que são duas faces de uma mesma moeda: de um lado a convivência pacífica entre humanos e homo superior por outro lado a supremacia do resultado da evolução da humanidade, os mutantes como próximo nível da evolução humana. Bem, esta introdução foi feita para que você pudesse ter o tempo suficiente de decidir se quer ou não ler os SPOILERS da continuação de nossa conversa. Bem se chegou até aqui com certeza você é tão curioso quanto a gente que gosta de ir na pré-estreia para acompanhar em primeira mão o que está acontecendo. Vamos lá!
   

     De maneira geral, o filme é bem estabelecido e tenta resolver alguns problemas de cronologia que vêm desde X-Men Primeira Classe, pois se passa em 1983, dez anos após o incidente com da tentativa de assassinato do presidente Nixon e do surgimento das indústrias Trask e dos Sentinelas no último filme. O próprio Apocalipse aparece um tanto quanto desconexo do contexto original do vilão tanto em sua origem, que mostra um ritual de transferência de corpo de um apocalipse fraco para um novo corpo. Ele é protegido pelos seus cavaleiros. Na versão original, é Kang, o Conquistador quem volta no tempo para encontrar o jovem En Sabah Nur com o objetivo de controlá-lo. Seu plano dá errado e ele quase não consegue escapar do Egito da primeira dinastia e voltar a seu presente. Este encontro deu a Apocalipse a tecnologia para incrementar seus poderes e dominar seu tempo. 

 
Kang, o Conquistador

     Na cronologia original, o despertar de En Sabah Nur, acontece cerca de 100 anos antes do retratado no filme, mais especificamente na Londres Vitoriana na mini série: As novas aventuras de Ciclope e Fenix, a Origem do Senhor Sinistro.

 

     Na Era Vitoriana, Apocalipse tem contato com a teoria da Evolução a partir do próprio Darwin e elabora sua estratégia de extermínio para purificar a terra dos fracos e elevar outra sociedade mais forte com os escombros da anterior. Concede poderes ao cientista Doutor Nathaniel Essex que se transformará no Senhor Sinistro. Enquanto Sinistro procura pelo cruzamento de DNA Perfeito, que geraria o mutante mais poderoso da terra: Cable ou Nathan Summers, Apocalipse inicia seu plano para assumir o controle do planeta como um ditador terrível, este plano demorará mais de 100 anos para se concretizar, o que acontece com a morte de Xavier no passado por seu filho Legião e permitirá que a ascensão de En Sabah Nur aconteça, dando origem à Era do Apocalipse, uma das melhores sagas que tive o privilégio de ler em minha caminhada Nerd/Geek.


     Apocalipse é representado no filme como um mutante com poderes supremos, mas que está desorientado pela falta de conhecimento da sociedade. Ao mesmo tempo em que é muito poderoso, acaba se tornando fraco por achar que não precisa de ninguém. Reúne os quatro cavaleiros para protegê-lo e busca a todo tempo um receptáculo para transferir sua essência a outro mutante que sacie sua sede por mais poder. Nos quadrinhos os quatro cavaleiros tem uma nomenclatura aos cavaleiros contidos na Bíblia (Morte, Peste, Fome e Guerra) já no filme isto não é explorado e os cavaleiros não possuem nenhuma preponderância, a não ser o Magneto que testa a extensão de seus poderes. Nos quadrinhos existem diversas formações dos cavaleiros, incluindo o próprio Hulk como Guerra!!!



     O filme inicia com um Apocalipse idoso e enfraquecido sendo levado a uma pirâmide para o ritual de transferência que é interrompido por um grupo contrário ao culto a En Sabah Nur que isola a pirâmide e a destrói, fazendo com que Apocalipse permaneça em animação suspensa por mais de 5 mil anos. Quando desperta, recruta Ororo Munroe, líder de ladrões mirins nas ruas do Cairo (compatível com sua origem nas HQ's) , um Anjo destruído por ter perdido sua asa, Psylocke que é encontrada junto aos Morlocks (?) e por fim Magneto que tinha recém perdido sua esposa e filha na Polônia Oriental.

    Do outro lado, Os mutantes reúnem-se contra a ameaça crescente e ainda desconhecida. Dos novos atores, Sophie Turner (Sansa Stark!) que interpreta a Jovem Jean Grey e Kodi Smit-McPhee que dá vida ao Noturno são destaques além do Mercúrio, meu personagem predileto no filme. A cena em que ele salva os alunos da mansão que está explodindo é épica por mostrar mais uma vez (Como na cena da Cozinha do Pentágono em Dias de um Futuro Esquecido) como um velocista enxerga o mundo. Evan Peters trabalhou 45 dias para finalizar uma cena de 3 minutos. 


     
     Wolverine aparece durante a prisão dos X-Men na base canadense do Coronel Stryker e mostra uma carnificina de Logan em seu caminho para a saída da base após os eventos da Arma X. O visual de Hugh Jackman está muito parecido com o Arma X dos quadrinhos.

  
     Na luta final, todos os cavaleiros voltam-se contra o vilão e quem consegue derrotá-lo é Jean Grey que libera o poder da Fenix em uma cena que mostra a extensão do poder de Jean funcionando tanto no plano Astral quanto no plano Físico. Vemos pela primeira vez o plano astral, tão famoso nos quadrinhos e uma nova versão da Sala de Perigo para treinamento dos mutantes, sendo uma boa referência aos fãs dos X-Men, como este que vos fala.

     De maneira geral Apocalipse é o ponto mais fraco do filme, pois não foi bem retratado nem fisicamente nem em seu discurso. Mas o filme vale a pena pois fecha de maneira digna esta segunda trilogia dos X-Men no cinema, de certa forma "zerando" o cronômetro e abrindo as portas para uma nova sequência de filmes com os mutantes. Com direito a Stan Lee em sua já rotineira passagem pelos filmes com selo da Marvel e uma cena pós créditos que dá a deixa para a continuação da saga, desta vez com a presença do Senhor Sinistro e quem sabe a Arma 23, o maior inimigo da família Summers x Grey. (Por isso o texto introdutório!)

Nathaniel Essex, Senhor Sinistro

   Como princípios deste texto, após o filme é possível perceber que a sede de poder de En Sabah Nur acaba sendo seu ponto fraco, a arrogância de achar que nada ou ninguém pode superá-lo acaba sendo sua derrota. Devemos entender que não somos nada, não temos o controle de nada e não podemos acrescentar sequer um minuto à nossa existência.

A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. Provérbios 16:18

    Ver os X-Men como mutantes adolescentes lutando para descobrirem seus poderes e a enfrentar um mundo que os odeia mostra um retrato da adolescência que ainda hoje apresenta os mesmos desafios em se encaixar neste mundo. Para os cristãos o desafio é ainda maior, viver uma vida que não faz sentido a sociedade pós-moderna, mantendo princípios e fazendo a diferença onde estiver. Que os mutantes possam nos ensinar que mesmo não sendo iguais aos demais, podemos ajudar este mundo, pois todos vivemos no mesmo lugar e devemos lutar para que ele seja um lugar melhor para as futuras gerações!

Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Mateus 5:13
 
Espero que tenham gostado deixem seus comentários em nosso blog! 


Pastor Eduardo Medeiros
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário