sexta-feira, 24 de junho de 2016

Paradoxo Jovem #4: Faxina Emocional




Olá amigos e amigas que nos acompanham nas Parábolas GEEK! Espero que este seja o dia mais feliz de sua vida!


    Este post teve sua origem em uma experiência que eu Eduardo e minha esposa Meiry vivemos no ano de 2014. Em janeiro daquele ano tivemos a notícia de que o Senhor nos confiou a missão de cuidarmos de um menino que chegou ao mundo em setembro deste mesmo ano.
     A notícia maravilhosa nos levou a pensar em como poderíamos acomodá-lo bem em sua estadia neste planeta. Para isso, precisamos desmontar o que, até agora era nossa biblioteca. Quando comecei a abrir portas de armários e revirar caixas com textos, tive uma surpresa: tínhamos papéis acumulados de cerca de uma década de estudos! Textos que englobam duas graduações, duas pós-graduações, um doutorado e uma caminhada de 12 anos de conversão com livros e mais livros sobre o cristianismo. 
     Até aquele momento, eles estavam quietos dentro das prateleiras, bem ajustados, escondidos das visitas. Mas agora algo precisava ser feito para que pudessem dar espaço para o novo de Deus em nossas vidas. Sendo assim decidi agir: comecei a retirar todos estes documentos de seus lugares para dar um fim neles e "desapegar". Cada texto me fez lembrar do dia em que o usei, como foi sua leitura e o que aprendi com ele. Todos os textos que lemos em nossa caminhada acadêmica nos fizeram crescer para o que somos hoje, e cumpriram seu propósito. Coube a nós entendermos isso e abrirmos espaço em nosso quarto para que o nosso filho pudesse ter conforto enquanto estivermos no imóvel que Deus nos deu. Após esta verdadeira faxina, levei todos os papeis que fizeram parte de nossas histórias pessoais a uma recicladora de papéis e vi aquilo que levei anos para juntar ser destruído em questão de segundos quando a máquina triturou todos aqueles papéis e os compactou em um pequeno cubo de papel junto a inúmeros outros de outras realidades.
   Você pode estar se perguntando, mas o que isso tem a ver com a coluna Paradoxo Jovem? Eu responderia a você: - Tudo! Estatisticamente, grande parte das perversões sexuais e vícios relacionados ao tema estão baseados em experiências emocionais traumáticas que ocorreram no passado. Baixa auto estima causada por algum tipo de abuso que ocorreu durante a infância, podem levar a um sentimento de necessidade de aceitação por parte do sexo oposto ou do mesmo sexo, gerando sexo casual, promiscuidade, vício em pornografia, em masturbação, enfim, inúmeros problemas de ordem psicossocial durante a adolescência e a fase adulta. 
        Muitos de nós podemos viver com essas lembranças escondidas em algum quarto escuro de nossa alma (Paradoxo Jovem #2) e não conseguimos controlar nossos impulsos. Porém, assim como aconteceu conosco, um belo dia algo maravilhoso pode acontecer: a pessoa por quem você esperou tanto tempo apareceu! Você encontrou Jesus como Senhor e Salvador e começa uma caminhada com ele! O casal de namorados marca o casamento! Infinitas possibilidades que vão barrar na mesma questão fundamental: O que fazer com estes sentimentos passados de culpa e remorso que entulham sua alma? Não é possível viver o novo de Deus mantendo o passado trancado em armários de nossa alma. Chegou a hora de enfrentá-los e dar um fim naquilo que te machucou por tantos anos. Será que é possível apagar o nosso passado para viver algo realmente novo sem que esta sombra paire sobre nós? 

     Em uma das lições do curso de noivos que ministramos, o casal precisa colocar em pratos limpos seu passado sexual e relacionamentos anteriores. Debaixo de muita oração, eles são encorajados a falarem para seu futuro cônjuge tudo o que aconteceu em seu passado. Por que fazemos isso? 

Pois nada podemos contra a verdade, mas somente em favor da verdade. 2 Coríntios 13:8.

       Qualquer relacionamento que começar com segredos, será provado mais cedo ou mais tarde nestes segredos que virão a tona com poder destruidor. Porém, se suas gavetas emocionais estiverem vazias, qual será o poder que o vínculo de confiança entre o casal poderá sofrer? Se somos novas criaturas, devemos proceder como tal. Se existe alguma coisa ocupando espaço em sua alma, converse com seu líder, mande um e-mail para nosso blog e compartilhe sua experiência conosco, queremos dizer que você não está sozinho em sua jornada. Não carregue fardos pesados de seu passado, como o salmista que disse que:

As minhas culpas me afogam; são como um fardo pesado e insuportável. Salmos 38:4

Ao invés disso, entregue todos eles na Cruz e troque com o fardo de Cristo que segundo o próprio Messias:

Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. Mateus 11:30

     Viver com um peso insuportável na alma, ou ser liberto disso com o que Cristo fez por mim e por você é apenas uma questão de escolha. Cabe a cada um pagar o preço de organizar sua bagunça emocional e enviar para que nosso Deus a triture como fizeram com os nossos papéis de faculdade. 

O que você vai escolher? 



Pastor Eduardo Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário